EADMercado

As 10 maiores instituições de ensino a distância no Brasil em 2019

0

Unidade da Unopar, em Chapecó (SC): a maior entre as maiores instituições de ensino a distância. Crédito: divulgação.

A cada nova edição, o Censo da Educação Superior confirma a tendência do ensino a distância no Brasil. Em 2019, o volume de matrículas na modalidade EAD cresceu 19,1% – chegando a 2,4 milhões.

No mesmo período, as matrículas em cursos presenciais caíram 3,8%, para 6,1 milhões. Os dados foram divulgados pelo MEC nesta sexta-feira (23).

Em uma década, entre 2009 e 2019, o volume de matriculados na educação presencial aumentou 20,3%. Na EAD, o aumento foi de 192,4% no período.

Os resultados do censo do MEC apontam que dos 2,4 milhões de alunos matriculados em cursos EAD, apenas 157 mil são de universidades públicas. A imensa maioria dos alunos, portanto, está no setor privado.

De acordo com análise da consultoria Educa Insights, o censo aponta quais são as maiores instituições de ensino a distância do Brasil.

As 10 maiores instituições de EAD

  1. Unopar (Cogna, ex-Kroton) – 363,5 mil alunos;
  2. Uniasselvi – 281,7 mil;
  3. Unip – 234,1 mil;
  4. Estácio (Yduqs) – 195,1 mil;*
  5. Uninter – 180,7 mil;
  6. Unicesumar – 142,9 mil;
  7. Anhanguera (Cogna) –141,5 mil;
  8. Fael – 51,5 mil;
  9. Cruzeiro do Sul – 51,2 mil;
  10. Uninove – 49,3 mil.

Leia mais: O ensino superior depois da pandemia

Os dados do MEC mostram que o setor privado detém 75,8% da fatia do mercado de ensino superior – são 6,5 milhões de alunos.

Uniasselvi: no ranking das maiores instituições de ensino a distância, a segunda posição. Crédito: divulgação.

Confira outros destaques do Censo da Educação Superior 2019, segundo o Semesp:

  • Matrículas totais: aumento de 0,1% nas IES públicas e de 2,4% nas IES privadas;
  • Matrículas em cursos presenciais: queda de 5,8% na rede privada e aumento de 0,9% na pública;
  • Matrículas em cursos EAD: aumento de 21,7% na rede privada e queda de 8,9% na pública;
  • A rede privada representa 93,6% das matrículas EAD;
  • O setor privado representa 68,8% das matrículas presenciais;
  • A rede privada representa 88,4% do setor em número total de IES, que superou a marca de 2,6 mil, um crescimento de 3% em relação a 2018;
  • Ingressantes em cursos presenciais: (considerando graduação e sequenciais): queda de 2,6% na rede privada e aumento de 1,6% na pública;
  • Ingressantes em cursos EAD: aumento de 19% na rede privada e queda de 48,2% na pública;
  • Na rede privada, o número de calouros em cursos EAD passou o presencial, representando 50,7% do total;
  • De forma geral, o que está puxando o aumento do acesso ao ensino superior é o setor privado. Enquanto o número de calouros aumentou 7,3% nas IES privadas, caiu 3,7% nas públicas.

Leia mais: Gestores compartilham o que as faculdades brasileiras aprenderam com o coronavírus

*Os dados da Estácio incluem todas as unidades do grupo – entre elas a Estácio Ribeirão Preto, que sozinha tem 48,8 mil alunos. 

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino básico e superior.

    VOCÊ PODE GOSTAR

    Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.