Ensino BásicoInsights

Por que Bill Gates adorou a energia dessa escola

0

Dentre todas as questões trabalhadas pela Fundação Bill e Melinda Gates, a educação é a mais difícil – mas, às vezes, também é a mais estimulante. É o que escreveu Bill Gates em artigo recente, publicado no seu blog, que trata de uma visita do fundador da Microsoft à Howard School, localizada em Chattanooga, Tennessee (EUA).

A escola enfrenta diversos desafios. Ela está entre as instituições de educação básica com piores resultados de avaliações e taxas de graduação bem abaixo das médias estaduais. Mais de 90% de seus estudantes, a maioria afro-americanos e latinos, vivem na pobreza. Menos de 15% dos alunos de Howard conseguem um diploma de ensino superior ou um certificado pós-secundário.

Mesmo com todos esses dados preocupantes, Gates terminou sua ida à escola mais animado do que nunca. E o que teve a visita de tão inspirador? Uma comunidade altamente voltada para mudar o destino da instituição, que recentemente comemorou 150 anos.

Empresas locais, líderes comunitários, familiares, professores e alunos estão determinados a melhor o desempenho escolar, fazendo com que os estudantes, ao final do aprendizado, tenham condições de encarar em boas condições a faculdade ou o mercado de trabalho.

No centro desse esforço, está a diretora de Howard, LeAndrea Ware, que se encontra há dois anos à frente da escola. “Ela é uma das líderes escolares mais enérgicas que já conheci”, escreveu Bill Gates.

E não foi apenas impressão do magnata. Em outubro do ano passado, Ware foi nomeada diretora do ano pelo Departamento de Educação do Tennessee.

Leia mais: Por que este professor é considerado o melhor do mundo

Quando Ware assumiu a direção, o corpo de alunos havia dobrado de tamanho, chegando a mais de 1 mil estudantes, em poucos anos. Muitos desses novos alunos não falavam inglês. Outro problema era o alto índice de absenteísmo escolar – vários deles mantinham empregos de período integral para ajudarem suas famílias.

Bill Gates visitando a Howard School em Chattanooga, Tennessee, EUA. Um dos aspectos que chamou a atenção do fundador da Microsoft foi que a escola utiliza dados para orientar o processo de ensino-aprendizagem. Créditos: Howard School/divulgação.

Mudanças

Ao assumir o cargo, Ware pendurou uma grande faixa na entrada da escola, e convidou as pessoas a assinarem nela o compromisso de transformar a Howard em uma das escolas de maior crescimento em Tennessee. “Isso não foi um golpe publicitário”, afirmou Gates.

Ware passou, assim, a lançar diversas iniciativas para melhorar o desempenho dos alunos. A primeira delas foi abrir a escola aos sábados – já que muitos estudantes estavam atrasados ​​ou com dificuldades nas disciplinas.

A ideia foi apoiada pelos pais e por uma fundação local. E pelos estudantes também, já que centenas deles acabaram aproveitando a oportunidade.

Para motivar os alunos e mostrar a ligação entre os trabalhos escolares e as oportunidades profissionais, Howard lançou o “Future Ready Institutes”, grupos de estudo que apresentam os estudantes a empresas locais. Para os jovens, é uma chance de explorar possíveis profissões. Para as empresas, é uma ótima maneira de recrutar novos talentos para o preenchimento das vagas.

Em Tennessee, há uma crescente conscientização entre políticos, líderes empresariais, educadores e comunidades locais no sentido de que melhorar as escolas é fundamental para o futuro da economia. No estado, há muitos empregos qualificados em diversos setores, como automobilístico, de seguros e tecnologia. Mas o sistema escolar não estava produzindo graduados preparados em número suficiente para preenchê-los.

Leia mais: Inspirada em Harry Potter, escola mineira desenvolve competências dos alunos

Outro aspecto que chamou a atenção de Gates foi que Howard vem usando dados para orientar o processo de ensino-aprendizagem. Isso faz com que a escola identifique mais rapidamente as lacunas no aprendizado, antes que os alunos comecem a ficar para trás.

Embora ainda novos, os esforços realizados por Ware e pela comunidade local já ajudaram a escola a melhorar as taxas de frequência e o desenvolvimento acadêmico. “Em nossa fundação, acreditamos que pensar na educação pelos olhos dos alunos, como Ware fez, é fundamental para o sucesso escolar”, escreve Gates.

Gates conta que, mesmo com centenas de assinaturas, conseguiu encontrar um lugar para adicionar seu nome na faixa que Ware pendurou na entrada da escola. “Eu também incluí uma nota, que dizia ‘eu amo a sua energia!’, pois tenho certeza que a energia da comunidade, dos alunos e de Ware alimentará a melhoria contínua de Howard”.

Leia mais: Entenda como funcionam as escolas charter 

Redação Pátio
A redação da Pátio – Revista Pedagógica é formada por jornalistas do portal Desafios da Educação e educadores das áreas de ensino infantil, fundamental e médio.

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.