Insights

Clubhouse: as vantagens da rede social de áudio aos educadores

0

Cada plataforma ou rede social que surge pode abrir várias janelas de oportunidade para os educadores. Eles podem utiliza-la para se encontrem com os alunos, mas também com outros educadores, trocando ideias, experiências, lições. Enfim, crescendo juntos. De certa forma, essa é a sensação que causa o Clubhouse, rede social que virou febre nos últimos meses.

O que é o Clubhouse?

Pense numa enorme conferência sobre os assuntos mais variados, na qual você pode migrar de grupo a hora que quiser – pular de uma discussão sobre o aquecimento global para outra sobre ensino de matemática, e por aí vai.

Clubhouse para educação

A grande vantagem do Clubhouse na educação está em estabelecer relacionamentos duradouros entre educadores. Crédito: Unsplash

O Clubhouse funciona exatamente assim. Só que única e exclusivamente por áudio.

Não dá para enviar texto nem trocar fotos, vídeos, links, figurinhas. A única forma de interação é abrir o Clubhouse, navegar pelo corredor virtual e acessar uma das várias “salas” onde as pessoas conversam entre si através da gravação de áudios – que por sinal não ficam gravados nem registrados.

Por enquanto, o aplicativo ainda está em versão beta – em fase de testes – apenas para usuários convidados do sistema IOS (iPhone). Mesmo assim, já superou a marca de 10 milhões de participantes. O sucesso se deve, em grande parte, a aderência de executivos, políticos e celebridades à rede social.

“O Clubhouse acabou se tornando uma plataforma para diálogos construtivos, epifânicos mesmo, que lembram os primórdios da internet”, analisou o advogado Ronaldo Lemos, diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro.

Não à toa, o Clubhouse tem atraído a atenção de educadores, do ensino básico ao superior.

Clubhouse na educação

Os professores podem participar de salas com os alunos, seja iniciando um debate ou dando uma explicação adicional sobre um tópico abordado em sala de aula. Mas a grande vantagem do Clubhouse está em estabelecer relacionamentos com outros educadores.

Há salas de toda sorte. Algumas dedicadas a dicas de cursos online e livros. Outras vão mais fundo, com debates sobre temas variados que incluem storytelling, gamificação, design thinking e aprendizagem baseada em projetos.

Os educadores também usam o aplicativo para desenvolver a carreira, ter conversas significativas e até mesmo para desabafar durante o almoço. Alguns oferecem incentivo em ideias de negócios, editam currículos e oferecem oportunidades de consultoria.

A cientista Lindsay Portnoy descreveu a rede social da seguinte forma ao Edsurge: O Clubhouse parece uma sala de professores 24 horas por dia, 7 dias por semana, repleta de conversas brilhantes que você ouviria em uma sala de professores de tijolo e argamassa, com o benefício adicional de vozes ainda mais diversificadas”.

Educadores ouvidos pelo Education Week também dizem que a “experiência no aplicativo tem sido amplamente livre da toxicidade e discórdia que assola a experiência do usuário no Facebook, Twitter e outros sites de mídia social”.

Leia mais: Como utilizar a “pedagogia do TikTok” em sala de aula

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino básico e superior.

    VOCÊ PODE GOSTAR

    Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.