EdTechMetodologias de Ensino

Como utilizar melhor a memória operacional no aprendizado

0

A memória de trabalho ou operacional é um componente cognitivo da memória que permite o armazenamento temporário de informação e está presente em diversas de nossas tarefas diárias, tais como ler e resolver problemas. Ela é essencial para outros cognitivamente mais complexos, pois, conscientemente, processa e gerencia informações que serão cruciais para o aprendizado, o raciocínio e a compreensão. Embora seja limitada, portanto, a memória de trabalho é o fio condutor do conhecimento e, quanto mais o aprendizado se distancia do decoreba, mais é utilizada.  Pode parecer contraditório, mas quanto mais aprendemos realmente ao invés de apenas decorar, mais a memória operacional é utilizada, para a absorção de novas informações. Pensando nisso, o site Edutopia publicou um artigo trazendo dicas para melhor utilizar as peculiaridades desse tipo de memória no ensino. Confira:

A memória de trabalho é a porta da entrada das novas informações para o cérebro. Fonte: Seapoint Center

A memória de trabalho é a porta da entrada das novas informações para o cérebro.
Fonte: Seapoint Center

Repita comigo

Uma das formas mais efetivas de aproveitar melhor a memória de trabalho durante o aprendizado é usar o método de repetir as palavras ditas pelo professor. O ato de escutar e falar a lição foca as atenções do cérebro nesse conteúdo, além de ativar muitos componentes da memória de trabalho. Esse método pode ser utilizado inclusive em videoaulas de cursos a distância, com o professor sugerindo que o aluno repita em voz alta os pontos cruciais da matéria.

Jogos e solução de problemas

Na carona do fenômeno chamado gamificação, mas de uma maneira muito mais singela, utilizar jogos simples (como o que tem o sugestivo nome de jogo da memória) durante o aprendizado, assim como no dia a dia, é uma maneira de incrementar a memória operacional. Desenvolva exercícios semelhantes em jogos de cartas ou outros baseados em memorizar elementos e estimule seus professores e alunos a introduzir a prática no seu dia a dia. Trabalhar com a informação de forma fragmentada, no estilo solução de problemas (como nos famosos problemas matemáticos da educação básica), também proporciona que os alunos identifiquem a questão, recordem o conteúdo e processem os dados necessários para chegar a uma resposta.

Ênfase na relevância

Durante as aulas e os debates, direcione o foco no que é relevante para a disciplina e ensine seus alunos a identificar os pontos importantes da discussão. Afinal, estamos sempre envoltos em distração e informações muitas vezes irrelevantes. Quando o aluno faz uma pesquisa online, por exemplo, ele constantemente terá acesso a conteúdos adjacentes, que podem ser até interessantes, mas não necessariamente relevantes para aquela busca. Um dos aspectos mais importantes do desenvolvimento da memória de trabalho é justamente saber o que é importante naquele momento.

Ensinar para aprender

O ato de ensinar outra pessoa é um bom método para colocar a memória operacional para trabalhar. Proponha aos alunos que eles lecionem uma aula para seus pares ou mesmo gravem vídeos ensinando algum conteúdo. Assim, o próprio aprendizado é incrementado, pois o estudante deverá utilizar toda a nova informação apropriada pela memória de trabalho para explicar o que sabe para seus novos alunos.

E você? Também utiliza técnicas para incrementar o aprendizado de seus alunos? Não deixe de dividir suas experiências conosco ou de assinar nossa newsletter para prosseguir com o debate.

 

 

 

 

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino básico e superior.

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.