EdTech

Os destaques da EdTech Conference 2020, segundo educadores

0

No dia 11 de fevereiro estive no EdTech Conference 2020, evento promovido pela Startse em São Paulo (SP). Fiquei muito animada por encontrar vários amigos gestores de instituições de ensino superior (IES) atentos ao chamado do evento – que dizia “saiba como levar as novas tendências em educação para dentro da sala de aula”.

Perceba que foi usado o termo “dentro da sala de aula”. Eu defenderia o termo “além dos muros da sua instituição”.

EdTech Conference 2020: evento refletiu sobre novas tendências em educação. Crédito: Divulgação

De toda forma, foi um ótimo evento, Entre os temas abordados estavam lifelong learning, a tecnologia versus o homem, nova economia, entre outros assuntos que ressaltam os desafios que os educadores têm de enfrentar nesse contexto de mudanças rápidas.

É preciso nos reinventar, desaprender, aprender e reaprender a todo momento e perceber a relevância das soft skills, as habilidades que nos diferenciam das máquinas – apesar das pesquisas desenvolvidas para que a inteligência artificial “humanizem” nossas relações com os dispositivos.

Leia mais: A relevância das soft skills aos profissionais do futuro

Regina Helena Ribeiro, do Senac-SP, acredita os insights, as conexões e os contatos que nascem no evento são muito válidos.

Numa conversa que tivemos, ela ressaltou ainda que precisamos de gestores em lugares diferentes do dia a dia, modificando-se e se enxergando no lugar do outro porque os desafios e as soluções para a educação estão na nossa frente. E precisamos reconhecê-los – estou falando de Paul, Alexa e Siri, por exemplo.

Foi muito bom conhecer com mais detalhes cases de empresas como a École 42, cujo formato disruptivo tem duas unidades no Brasil (São Paulo e Rio) com alunos “sem professores”, desenvolvendo projetos, conectados com outros alunos ao redor do mundo. Além de entender os serviços da Cogna Educação neste contexto e os desafios da jornada de transformação digital em que o grupo está passando.

Foram também organizadas 4 trilhas com convidados que trouxeram suas experiências nos contextos:

  • Da educação infantil ao ensino médio;
  • Ensino superior e pós-graduação;
  • Novas metodologias e novas tecnologias;
  • Educação corporativa e lifelong learning.

E o EdTech Conference 2020 foi encerrado com o Mauricio Benvenutti, falando sobre “3 tendências do Vale do Silício”:

  1. Assistentes de voz
  2. TikTok
  3. Transformação Digital

Além de falar sobre educação na prática, onde demonstrou a importância do “aprender fazendo”, Benvenutti deu espaço na sua fala para um pitch de alunos de uma cidade do interior do Nordeste, que desenvolveram um projeto para solucionar uma das dores da região que moram.

Leia mais: Universidades capacitam alunos para trabalhar e abrir startups

Três especialistas avaliam o evento

Eu pedi que alguns líderes educacionais presentes no EdTech Conference 2020 compartilhassem comigo outras percepções do evento. Confira os depoimentos a seguir:

Janes Fidélis Tomelin, pró-reitor de EAD da Unicesumar

Janes Fidélis Tomelin, pró-reitor de EAD da Unicesumar. Crédito: Divulgação

“Ser gestor de educação é um desafio que nos remete a um passado recente de novas legislações, com novas aberturas anunciando uma mudança necessária, gradativa e um futuro eminente com expectativas, desafios, novidades e outras oportunidades ainda não decifradas, participar de um evento que discuta tecnologia, compartilhe experiências e nos permita ver quais as principais tendências para o setor, favorece a interlocução com pessoas que compartilham abertamente suas experiências e nos remetem à uma nova lógica criativa de repensar e reposicionar a educação brasileira.”

Jeferson Pandolfo diretor de soluções educacionais da Universidade Candido Mendes

Jeferson Pandolfo, diretor educacional da Universidade Candido Mendes. Crédito: Divulgação

“Participar do evento EdTech Conference 2020 com certeza é uma oportunidade para os gestores das instituições de ensino se manterem atualizados e conhecedores das novas tecnologias e das tendências. Conhecer as experiências de outras instituições, os modelos e as ações das startups contribui para repensar a forma de atuação e o dia a dia das organizações. Uma oportunidade para trocar experiências e interagir com aqueles que buscam transformar a educação diante as novas demandas do mundo.”

Ricardo Ponsirenas diretor de ensino da Laureate Digital

Ricardo Ponsirenas, diretor de ensino da Laureate Digital. Crédito: Divulgação

Grande parte da transformação que estamos fazendo no EAD da Laureate se apoia em startups, principalmente do segmento da educação. Nesse sentido, temos criado uma via de mão dupla, na qual chamamos as startups para fornecer soluções inovadoras e, ao mesmo tempo abrimos nossas portas para ajudar a desenvolver os seus produtos nos desafios reais do nosso dia a dia com alunos, professores e tudo o que envolve a realização dos cursos de graduação e pós-graduação. Com essa estratégia em mente, é fundamental seguir de perto o ecossistema das startups, ouvindo o máximo de soluções e ideias inovadoras que elas conseguem trazer, pois, mesmo que você não veja aplicação prática imediata, em algum momento você pode se deparar com um problema para o qual já sabe que uma startup desenvolveu uma solução.”

Depois do EdTech Conference, Campus Party

Convido os gestores e demais leitores a participarem com suas IES da Campus Party, que será no mês de julho. A Campus Party foi um evento que me apresentou algumas pessoas especiais e fundamentais do mundo das edtechs e que desde então tem me feito “sair da caixa”.

Lembrando que a Campus Party abriga seus próprios alunos, que ficam “literalmente” acampados no evento. É bom para conhecer melhor o ecossistema das startups, repensar como essa geração aprende, trabalha, engaja, desafia-se e se organiza.

Desafios, são muitos. Mas se as IES não mudarem o mindset, ficarão para trás. Ou podem fazer como os bancos, que estão se reinventando após perderem espaço para as fintechs.

Leia mais: 4 passos simples para uma aprendizagem digital de sucesso

Fernanda Furuno
Fernanda Furuno é cofundadora do Guia EAD Brasil, membro do conselho de inovação da Abed e do conselho editorial do portal Desafios da Educação e atua na área do sucesso do cliente da DreamShaper.

    VOCÊ PODE GOSTAR

    Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.