EADGestão

A qualidade e os desafios da educação a distância no mundo, segundo este estudo

0
educação a distância

Levantamento realizado pela ICDE atenta ao padrão de qualidade e capacitação docente para a oferta da educação a distância em nível global. Crédito: Pexels.

Nos Estados Unidos, 15% dos estudantes estão matriculados em cursos totalmente a distância. Na Índia, as modalidades de aprendizagem aberta e a distância representam uma importante ferramenta para levar a educação a um contingente maior da população, atingindo principalmente as camadas de baixa renda. Na África, é esperado que a educação a distância alcance um patamar crescente de cobertura nos próximos anos.

Essas informações estão contidas no estudo Qualidade global em educação online, aberta, flexível e aprimorada por tecnologia, do Conselho Internacional para Educação Aberta e a Distância (ICDE, na sigla em inglês). Os dados coletados são referentes ao ano de 2018. O trabalho examinou pontos fortes e fracos, além de oportunidades e ameaças à qualidade da educação a distância (EAD) em nível global.

Foram entrevistados líderes de instituições de ensino de África, Arábia, Ásia, Europa, América Latina, Caribe, América do Norte e Oceania.

Leia mais: O que é educação aberta, flexível e aprimorada por tecnologia

Desigualdade na EAD

O estudo aponta que, embora a EAD esteja em alta em muitos países, os cursos e programas ainda apresentam elevado grau de desigualdade.

Um dos fatores que ocasionam essa desigualdade diz respeito à falta de consistência dos padrões utilizados pelos órgãos governamentais para avaliação da qualidade da educação virtual. Sem parâmetros para determinar o benchmarking, as instituições se deparam com um quadro de ambiguidade em relação às expectativas de qualidade de suas ações.

A falta de padrões confiáveis também pode criar problemas em relação à credibilidade da aprendizagem virtual, flexível e aprimorada por tecnologia. Com isso, a oferta de cursos ou programas sem a incorporação das melhores práticas resulta em “experiências ruins de aprendizado para os alunos”, aponta o levantamento do ICDE.

Leia mais: Webinar: modelos, planos e experiências de ensino híbrido

De acordo com o relatório, esse cenário está bastante presente na América do Norte. Ainda que a educação virtual continue a crescer por lá, a ausência de padrões de qualidade no setor determina uma falta de consistência entre os programas.

Esse cenário afeta diretamente as instituições de ensino superior (IES) à medida que ambientes de aprendizagem descentralizados resultam em ofertas aleatórias.

Capacitação docente

Outro desafio para a educação a distância em nível global é o desenvolvimento profissional. Em muitas regiões, ainda não foi implantada uma capacitação apropriada para o corpo docente ou mesmo para os demais profissionais envolvidos nas atividades.

Leia mais: Crescimento da EAD exige formação específica para professor e tutor virtual

Essa circunstância resulta não só em um ambiente inadequado de aprendizagem para os alunos, como também em uma experiência frustrante para os próprios professores.

Com isso, em muitos casos, os docentes preferem prosseguir no modo face a face, presencial, sem compreender o seu papel na educação a distância e sem conseguir atender as necessidades virtuais de seus alunos.

Leia mais: Por que há professores que ainda resistem ao ensino online?

Percepção social

O terceiro tópico que concorre para a desigualdade da aplicação do ensino a distância em nível mundial tem a ver com o conceito de percepção social. A ideia de que esta modalidade tem a mesma eficácia do ensino tradicional está já presente em muitas partes do mundo, mas essa percepção não é universal.

Em alguns lugares, a EAD ainda é considerada como algo “abaixo do padrão”.

Mais que isso, o fato de que muitas nações continuam a ver essas modalidades com descrédito acaba por agravar a falta de diretrizes e processos para fomentar a credibilidade e a oferta do ensino a distância.

Segundo o estudo, para girar a chave e superar a percepção negativa da sociedade, é preciso o apoio de líderes tanto de universidades quanto de governos.

Leia mais: Por que a graduação EAD superou a modalidade presencial em número de vagas

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino básico e superior.

    VOCÊ PODE GOSTAR

    Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.