Ensino Básico

Lançados na pandemia, livros ajudam crianças a lidarem com sentimentos

0
Durante a pandemia autores estão publicando livros que ajudam crianças a lidarem com seus sentimento. Crédito: Unsplash.

Durante a pandemia autores estão publicando livros que ajudam crianças a lidarem com seus sentimento. Crédito: Unsplash.

A saúde mental nunca esteve tão em pauta. Os motivos para isso incluem os efeitos da quarentena prolongada, o aumento de casos de depressão e ansiedade a até a perda de entes queridos.

No dia 28 de setembro, o mundo atingiu a marca de 1 milhão de pessoas mortas pela pandemia do novo coronavírus. É um momento emocionalmente complicado, inclusive para aqueles que não entendem com clareza o que está acontecendo.

É diante desse cenário que as crianças precisam ser ouvidas e ensinadas a lidar com seus sentimentos. A boa notícia é que existem autores escrevendo e publicando livros que podem ajudar as crianças e os pais a atravessarem o período onde só se fala de coronavírus.

“A gente está em um momento em que a perda está sendo constante”, diz o escritor Volnei Canônica. “Não necessariamente a morte, mas a ausência da escola, dos pais, dos amigos. A criança sente essa possibilidade eminente de que qualquer momento alguém pode sumir do radar.”

Volnei Canônica. Crédito: Roger Mello.

Volnei Canônica. Crédito: Roger Mello.

Canônica é presidente do Instituto de Leitura Quindim, “biblioteca privada de serviço público” localizada em Caxias do Sul (RS), e autor de “Tanta Chuva no Céu”, livro incluído em uma lista das melhores obras de 2020 para as crianças, segundo a revista especializada Quatro Cinco Um.

Para Canônica, quando alguém encontra um livro que fala sobre o que está sentido, o momento é de catarse. É como se ela falasse para um espelho. “A literatura fala sobre as dores da humanidade”, diz.

A arte e principalmente a literatura dialoga e possibilita esse momento de colo, de afeto que a gente está precisando para acalmar os ânimos. Para nos dizer que a gente vai sobreviver a esse momento que é muito difícil.

Volnei Canônica.

Leia mais: A escola precisa falar sobre saúde emocional. E aqui estão 3 razões para isso

A literatura historicamente desempenha um papel importante para os dilemas da sociedade. “Talvez tenhamos prestado mais a atenção nesses livros durante a pandemia por uma necessidade mais evidente”, diz o escritor Christian David, autor de livros como “Três finais de um jacaré”, “Caos na escola” e “O dilema dos juros de chocolate”.

Christian David.

Christian David. Crédito: Arquivo Pessoal.

David acredita que a literatura não precisa e não deve ter a preocupação de ter uma utilidade prática ou de se prestar a um fim específico. Mas reconhece que a saúde mental pode decorrer do hábito de leitura em qualquer idade.

A leitura provoca uma série de emoções. É possível ficar alegre, mas também chorar com o personagem quando ele passa por um período difícil. Na maioria das vezes, porém, a literatura infantojuvenil mostra que as situações, ainda que difíceis, podem ser solucionadas.

A literatura para a infância nos apresenta o dragão, mas também o personagem que pode e vai derrota-lo. Algo que nem sempre acontece na vida real, mas que é desejável para que acreditemos em um futuro não tão sombrio como o que por vezes ficamos tentados a imaginar.

Christian David

David explica que quando o tema abordado em um livro para a infância diz respeito a situações mais delicadas como morte, solidão ou tristeza, a criança tem a oportunidade de atravessar e vencer com o personagem a dor que ela, a criança, está sentindo.

Leia mais: Como diminuir a ansiedade do aluno antes da prova

Livros lançados na pandemia: incentivar as crianças a lerem pode, além de outras coisas, ajudar na saúde mental.

Livros lançados na pandemia: incentivar as crianças a lerem pode, além de outras coisas, ajudar na saúde mental. Crédito: Pexels.

Incentivo à leitura

É por esse e outros fatores que se insiste tanto na necessidade de adquirir o hábito de leitura desde criança. “Nos tornamos melhores cidadãos, mais conhecedores de nós mesmos, de nossas capacidades e do mundo que nos cerca”, diz David.

“O que eu queria é as pessoas tivessem mais acesso aos livros nesse momento”, diz Volnei Canônica. Livros que falam de sentimento têm o poder de dar voz as crianças. “O adulto sempre acha que sabe o que é melhor para criança e nunca quer saber o que ela pensa”, lamenta.

Ele acredita, ainda, que na volta às aulas será necessário falar mais sobre ansiedade, medo e solidão com as crianças.

Lançamentos da pandemia

A crise provocada pelo coronavírus provocou uma alta procura por conteúdos que falam sobre saúde mental – e na literatura isso não foi diferente. A seguir, confira alguns livros – para crianças e sobre sentimentos – lançados durante a pandemia.

Tanta Chuva no Céu

A estreia de Volnei Canônica como escritor traz a história de uma menina tentando refazer a sua casa e a si mesma diante da dor e da lembrança dos pais. Ilustrado pelo equatoriano Roger Ycaza, o livro traz uma mensagem de que a gente está na chuva para se molhar. “A menina está sozinha até que chegou alguém e levou ela para a chuva. As pessoas precisam dessa mão que os chame para tomar um banho de chuva”, conta o autor, em entrevista ao portal Desafios da Educação. (Editora do Brasil, 40 páginas, R$ 50,70)

O Menino Azul e Família Colorida

Conta a história de uma mãe que é pega de surpresa pela chegada de um bebê diferente. Um bebê azul. Através de uma bela metáfora, de vivências próprias e de uma sensibilidade ímpar, Zilah Ramires Ferreira transmite aos pequenos leitores uma importante mensagem a respeito do apoio e da compreensão necessários para se lidar com uma criança autista. (Editora Contracorrente, 24 páginas, R$ 30,00)

Vamos Lidar com a Raiva?

Para crianças maiores, esse livro ensina a identificar o sentimento e propõe 50 exercícios que ensinam estratégias para controlar a raiva. (Editora Sextante, 160 páginas, R$ 49,90)

Brincando e Aprendendo Com Mindfulness

Este livro ensina exercícios para serem feitos em casa ou ar livre, na companhia dos pais e dos amigos, em que as crianças vão exercitar a paciência, a concentração e o controle da respiração. E todo esse aprendizado será feito em meio a passatempos muito divertidos como jogo dos erros, jogo da memória, quebra-cabeças e labirintos, além de atividades para serem produzidas pelas crianças e lindos desenhos para colorir. (Editora Coquetel, 64 páginas, R$19,90)

Da Minha Janela (em inglês)

Escrito a partir da perspectiva de crianças que observam o mundo através de suas janelas, este livro analisa a vida de crianças que vivem em casa durante a pandemia do coronavírus. Inspirado por eventos reais e pessoas de todo o mundo, “Da Minha Janela” (From My Window, em inglês) mostra às crianças que todos têm os mesmos medos, mas é possível superá-los sendo criativos e empáticos, e permanecendo positivos e saudáveis. (United Nations, 32 páginas, R$ 28,00)

O Dia que as Linhas Mudaram (em inglês)

Um livro colorido que nunca usa a palavra “pandemia”, “O Dia que as linhas Mudaram” (The Day the Lines Changed, em inglês) segue uma pequena linha verde que acorda um dia para descobrir que, inexplicavelmente, tudo no mundo mudou. Mas, enquanto as linhas cuidarem umas das outras, haverá muita esperança. (A Little Donnerwetter Books, 26 páginas, R$ 56,00)

Paula e a Pandemia (em inglês)

Este livro é sobre uma garotinha, Paula, que vive a pandemia e não consegue fazer as coisas que amava. Sua mãe tenta trabalhar sua paciência cultivando um girassol. Essa obra tem como objetivo apoiar os pais que têm dificuldade em explicar a covid-19 e o distanciamento social para seus filhos pequenos. (35 páginas, R$ 48,00)

Leia mais: Quem mais incentiva o brasileiro a ler? O professor

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.