Opinião

Mesmo com ascensão da tecnologia, materiais didáticos ganham relevância na aprendizagem

0

O texto abaixo faz parte do especial “Tendências para a educação em 2021“, publicado pelo portal Desafios da Educação. No artigo, a autora afirma que em 2020, ano em que a tecnologia foi protagonista na educação, os materiais didáticos ganharam maior relevância no processo de aprendizagem.


Por Andreia Fernandes

Em março de 2020, quando começaram as aulas remotas por conta da pandemia, todo o processo de uso dos materiais didáticos foi bastante desafiador. Tanto para professores quanto para alunos. Afinal, ninguém havia experimentado a pleno aquela nova realidade pedagógica.

De maneira muito rápida, toda a comunidade escolar teve que se tornar flexível suficiente e se adaptar de forma integral ao ensino remoto, prática não-habitual nas escolas, com as aulas eram praticamente todas realizadas de forma presencial.

Com o correr dos meses, da formação continuada, de leituras e trocas de experiências, as devidas adaptações foram realizadas e o processo pedagógico (durante a quarentena) passou a fluir com mais facilidade em diferentes ambientes de aprendizagem, que foram muito além da sala de aula.

o material didático ganha maior relevância no atual cenário e se torna um elo que permeia todas as modalidades de ensino: presencial, online e híbrido.

Segundo Andreia Fernandes, o material didático ganha maior relevância no atual cenário e se torna um elo que permeia todas as modalidades de ensino: presencial, online e híbrido. Crédito: Pexels.

Leia mais: A aprendizagem pós-pandemia depende de 17 conceitos. Aqui estão eles

Hoje, verifica-se que as aulas híbridas desempenham um papel fundamental no processo de ensino-aprendizagem. Elas estimulam o desenvolvimento da autonomia dos alunos e oferecem aos professores maiores possibilidades do exercício de práticas mais ativas nos momentos síncronos ou presenciais.

Com tantas transformações acontecendo no processo educacional, o material didático ganha maior relevância no atual cenário e se torna um elo que permeia todas as modalidades de ensino: presencial, online e híbrido.

Dentro desse contexto, há de se buscar materiais didáticos que tenham como base o desenvolvimento de projetos, que estimulem o pensamento crítico, a criatividade, solução de problemas, colaboração, comunicação, empatia e autonomia, que são competências a serem desenvolvidas pelos alunos do século 21.

Acrescenta-se, também, a necessidade de conteúdos que fomentem o desenvolvimento tanto da inter como da transdisciplinaridade, o que oferece a possibilidade de se desenvolver uma abordagem mais sistêmica e dinâmica do ensino.

Dentro da experiência vivenciada em nossas escolas durante as aulas online e agora com as aulas híbridas, os professores fizeram as adaptações necessárias para que os alunos desenvolvessem seus projetos, usando os materiais disponíveis em suas casas. Se por um lado foi desafiador propor o desenvolvimento de projetos de forma remota, por outro lado foi uma oportunidade para as famílias visualizarem e até participarem da elaboração dos projetos sugeridos.

Confirmamos a escolha acertada dos materiais didáticos quando percebemos a fácil adaptação das tarefas para o ambiente online – qualidade essencial para o momento que estamos vivendo.

Além disso, a abordagem STEAM (sigla em inglês para Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática), ainda pouco adotada em materiais infantis mais modernos, traz conteúdos curriculares de uma maneira mais lúdica, interessante e divertida, num modelo de descoberta para as crianças, especialmente no que se refere às artes de um modo geral, incluindo artes plásticas e artes cênicas, e também ciências naturais e ciências matemáticas.

Do ponto de vista pedagógico, materiais que oferecem uma estrutura organizacional bem detalhada, facilitam o trabalho do professor no que se refere aos objetivos da realização dos projetos.

Andreia Fernandes

Andreia Fernandes.

Além disso, é de extrema importância a utilização de livros didáticos que ofereçam, na prática, oportunidades para que o aluno seja de fato o protagonista e o professor o mediador do processo de aprendizagem. Outra característica importante na atualidade é o desenvolvimento da familiarização com vários recursos digitais, a riqueza do desenvolvimento da personalização e da oralidade por parte dos alunos.

Na falta do contato físico com o professor, os materiais didáticos tornam-se grandes aliados no planejamento e condução das aulas, visto que o professor tem mais caminhos a serem seguidos para otimização do tempo síncrono de aula, além da possibilidade de se realizar um equilíbrio entre atividades que promovem tanto o desenvolvimento cognitivo como o desenvolvimento afetivo.

Vale ressaltar que, no planejamento dos domínios cognitivos, podem ser promovidas atividades que estimulem o desenvolvimento de habilidades básicas como lembrar, entender e aplicar, como também habilidades mais complexas como analisar, avaliar e criar. Na prática, o material didático torna-se um elemento facilitador do planejamento do professor com relação aos objetivos gerais e específicos que deseja alcançar.


Sobre a autora

Andreia Fernandes é coordenadora acadêmica do programa bilíngue Edify. Seu e-mail é: andreia.fernandes@spot-edu.com.br.

Confira o especial “Tendências para a educação em 2021” 

Leia outras reportagens especiais do Desafios da Educação.

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino básico e superior.

    VOCÊ PODE GOSTAR

    Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.