EAD

Capes condiciona abertura de mestrado EAD à estrutura da universidade

0
Polo da UAB. Créditos: Capes/Divulgação.

Polo da UAB pode ser usado em cursos de mestrado EAD. Créditos: Capes/Divulgação.

Estão disponíveis as instruções para a abertura de polos direcionados a cursos de pós-graduação stricto sensu – mestrado e doutorado – no modelo EAD. Na Portaria nº 70, publicada em 5 de junho, a Capes informa que as regras serão consideradas durante a vistoria presencial dos polos indicados pelas IES nos pedidos de Avaliação de Propostas de Cursos Novos (APCN).

Em 2019, a Capes recebeu 17 propostas para a criação de novos cursos de mestrado EAD. A análise das propostas ainda não foi concluída. Segundo a Capes, as visitas presenciais servirão como subsídio para a análise de mérito feita pelas comissões de avaliação de APCN e Conselho Técnico-Científico da Educação Superior (CTC-ES).

A expectativa era que os primeiros cursos de mestrado EAD fossem conhecidos em abril de 2020 – um dos meses mais afetados pela pandemia do novo coronavírus.

“Mesmo já havendo uma tendência de valorização do uso de tecnologias de comunicação e informação nos processos de ensino e aprendizagem na pós-graduação, a atual situação de isolamento social, em virtude da pandemia da covid-19, despertou ainda mais quanto à sua eficiência”, afirmou em nota Benedito Aguiar, presidente da Capes.

Leia maisOs planos da Cruzeiro do Sul para mestrados EAD

Estrutura da universidade

Os polos voltados aos cursos de mestrado EAD devem ter:

  • sala administrativa;
  • laboratório de informática;
  • ambiente de estudos/biblioteca ou biblioteca virtual;
  • salas de aula/videoconferência compatíveis com a demanda.

A adoção de medidas de acessibilidade em toda a estrutura é obrigatória.

O polo que vai sediar as atividades práticas do mestrado EAD também precisa oferecer acesso à internet compatível com a demanda do curso, bem como computadores para pelo menos metade das vagas e equipamento para conferência online. Os documentos como alvará de funcionamento ou habite-se, domínio do imóvel, aluguel ou cessão de uso e declaração dos recursos humanos do polo serão verificados pela Capes.

Benedito Aguiar; Polo será analisado durante avaliação de propostas para cursos de mestrado EAD. Crédito: Capes/Divulgação.

Benedito Aguiar; Polo será analisado durante avaliação de propostas para cursos de mestrado EAD.

De acordo com a Portaria nº 70, as IES podem ministrar cursos de mestrado EAD em polos já vistoriados e considerados aptos para a Universidade Aberta do Brasil (UAB) – voltados a cursos de formação inicial e continuada de professores da educação básica. Se for esse o caso, a visita da Capes pode ser substituída por uma vistoria virtual.

“Em virtude da expectativa de crescimento da demanda por programas de pós-graduação stricto sensu, o aproveitamento de polos da UAB, em situação regular, representa uma estratégia das mais significativas”, disse Aguiar, da Capes.

Leia mais: Em 2020, Brasil poderá ter até 17 cursos de mestrado EAD

Descentralização da oferta

As instituições de ensino superior estão autorizadas a oferecer pós-graduação stricto sensu na modalidade a distância desde dezembro de 2018, quando a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) publicou uma portaria que regulamenta a atividade. Desde então, desperta atenção de estudantes, professores, acadêmicos e profissionais.

A nova regra deve ampliar a oferta e a demanda de mestrados e doutorados, abrindo uma nova frente de atuação para as IES. Antes da decisão, as instituições só podiam oferecer pós-graduação online lato sensu, que engloba especializações e MBAs.

Uma das principais vantagens da nova oferta é a interiorização da pós-graduação no Brasil. A medida tende a diminuir a necessidade de deslocamento, os custos e a permanência dos estudantes nos grades centros urbanos.

A alternativa é de grande interesse especialmente aos moradores do Norte, Nordeste e Centro-Oeste do país – de fato, os estados que mais pesquisam pelo termo “mestrado EAD” no Google são dessas regiões, segundo análise do portal Desafios da Educação na plataforma Google Trends.

Capes também entende que os cursos de mestrado EAD ajudarão na formação continuada de professores, melhorando a qualidade do ensino básico no país.

Em 2019, apenas propostas de mestrado foram aceitas. A solicitação para criação de doutorado EAD só será liberada após a primeira avaliação dos cursos de mestrado.

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino básico e superior.

    VOCÊ PODE GOSTAR

    Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.