Soft Skills

Conheça a metodologia que estimula o pensamento de um jeito simples e informal

0

Metodologias ágeis, design thinking e processos criativos estão cada dia mais presentes na pauta de gestores e lideranças, sempre buscando o desenvolvimento de diálogos produtivos e a aceleração de desempenho por parte dos colaboradores.

O World Café é uma dessas metodologias, ainda pouco explorada, mas de grande efetividade quando o assunto é colaboração e inteligência coletiva. Ela é uma metodologia de conversação que envolve pequenos grupos em mesas redondas, onde há espaço para que possam compartilhar experiências, ideias e desenvolver um ambiente de aprendizagem colaborativo de alto desempenho.

A idealização é de Juanita Brown e David Isaacs, cujo objetivo surgiu como uma oportunidade da troca de opiniões em uma conversa informal, como numa reunião de amigos na hora do café.

Metodologia World Café estimula o pensamento e criatividade de um jeito simples e informal. Crédito: Pexels.

Metodologia World Café estimula o pensamento e criatividade de um jeito simples e informal. Crédito: Pexels.

Leia mais: Por que é tão “hard” ensinar soft skills?

Para que a metodologia World Café possa ser significativa para todos os participantes, é importante que haja consciência de propósito para a reunião, ou seja, é preciso estabelecer um motivo e levantar uma questão para que os membros possam discutir e chegar ao objetivo.

Uma das diretrizes do World Café também está diretamente ligada ao espaço onde acontecerão as reuniões dos grupos. Ambientes receptivos e de estrutura leve tendem a favorecer o diálogo e contribuem para a atmosfera acolhedora.

Outro ponto fundamental é incluir e estimular todos os participantes a contribuírem com suas opiniões, entendendo que cada um irá possuir opiniões diferentes, estilos de vida variados e vontades opostas. O respeito é palavra-chave.

Estrutura da metodologia

  • Deve ter 12 ou 16 pessoas no mínimo e os membros devem ser divididos em pequenos grupos de 4 pessoas por mesa;
  • Estabeleça um padrão para a dinâmica, como por exemplo 3 rodadas de 20 minutos cada;
  • Levante uma questão relevante para o debate;
  • Os membros devem trocar de mesa de forma aleatória a cada rodada;
  • O ideal é que se escolha um anfitrião para cada mesa, permanecendo fixo para conduzir e atualizar os novos convidados sobre os principais insights da rodada anterior;
  • Na nova rodada cabe ao anfitrião relatar brevemente os assuntos discutidos com o grupo anterior e novamente retoma-se o diálogo produtivo com os novos membros;
  • Ao final da última rodada, existe o momento de compartilhar, em que todos os participantes podem opinar, geralmente dispostos em roda, relatando o que mais chamou atenção nas conversas das mesas.

Leia mais: Criatividade em sala de aula: saiba como preparar o profissional do futuro

Cada mesa pode conter materiais de apoio como cartolinas, canetinhas, post-it e outros objetos que auxiliem os participantes a expor suas ideias e pensamentos. Mas lembre-se de que esses itens não devem ser utilizados para anotações em formato de ata, mas sim como forma dos participantes exteriorizarem seus argumentos, seja com desenhos, rabiscos, frases etc.

É possível deixar o ambiente mais estimulante ao oferecer algum tipo de aperitivo ou bebida para a conversa, como cafés ou chás e alguns petiscos. Isso torna a reunião mais informal e mais pessoal, fazendo com que a mente trabalhe mais facilmente.

O World Café em sala de aula

A metodologia World Café pode ser aplicada em diferentes formatos e situações, como política, ONGs, e claro, nas instituições de ensino. Dentro da sala de aula os professores podem adaptar o contexto da disciplina para promover conversações mais profundas a respeito de determinado tema.

O professor deve ter em mente que o propósito do World Café não é transmitir conteúdo aos alunos, mas fazer com que eles sejam responsáveis por levantar o debate e questões relevantes.

De acordo com a metodologia, um dos segredos para o sucesso da dinâmica está na pergunta que será proposta ao grupo. A organização diz que uma pergunta poderosa deve:

  • Ser simples e clara;
  • Provocar o pensamento;
  • Gerar energia;
  • Enfoca a indagação;
  • Aflorar suposições inconscientes;
  • Abrir novas possibilidades.

Leia mais: Como desenvolver inteligência emocional na sala de aula

A diversão deve ser outro aspecto promovido pelos professores, a fim de fazer com que os alunos fiquem mais tranquilos. Normalmente remete-se reuniões e dinâmicas como algo mais formal, sempre sob a supervisão de alguém. Aqui a intenção é totalmente o oposto, é dar liberdade aos alunos.

Os criadores do método recomendam que a execução do World Café:

  • Foque no que importa;
  • Contribua com o seu pensamento;
  • Fale através de sua mente e seu coração;
  • Escute para compreender;
  • Ligue e conecte ideias;
  • Escutem juntos os insights e perguntas mais profundas;
  • Brinque, rabisque, desenhe – escrever nas toalhas de mesa é desejável.

Observe elementos da disciplina que os alunos demonstrem mais afinidade e então sugira a dinâmica, você verá que em pouco tempo os alunos vão desenvolver a capacidade de levantar questões profundas, ao mesmo tempo que conseguem trazer também a solução para o problema apresentado.

Leia mais: A relevância da soft skills aos profissionais do futuro

Promover conversação colaborativa é um dos melhores caminhos para que seja possível desenvolver habilidades comportamentais, as famosas soft skills. Em um ambiente estimulante, os alunos e professores estão expostos aos desafios de questões que exigem criatividade.

Ao mesmo tempo, o espaço colaborativo pede inteligência emocional para compreender diferentes pontos de vista, liderança do anfitrião da mesa para expor com clareza os pontos levantados, pensamento crítico e resolução de problemas.

Uma dinâmica de uma hora, por exemplo, permite que os alunos observem diferentes opiniões e possam aos poucos ir construindo também a sua bagagem de raciocínio lógico de acordo com o tema.slash education

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino básico e superior.

    VOCÊ PODE GOSTAR

    Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.