Capacitação Docente

7 maneiras de apoiar e preparar os professores para a volta à sala de aula

0
Efeito reverso: professores que tiveram que aprender a usar o ensino remoto agora precisam lidar com a volta à sala de aula. Crédito: Unsplash.

Efeito reverso: professores que tiveram que aprender a usar o ensino remoto agora precisam lidar com a volta à sala de aula. Crédito: Unsplash.

Os 63 milhões de professores afetados pelo fechamento das escolas durante a pandemia da covid-19 desempenharam um papel crucial para garantir que o aprendizado continue, com ou sem o uso de tecnologia.

Agora, esses professores têm um novo desafio: garantir que a volta à sala de aula ocorra sem grandes problemas. O que exige preparação para lidar com alunos que possivelmente perderam renda familiar, vínculos sociais, rotinas e até mesmo parentes ou amigos para o coronavírus.

A preparação para o retorno à rotina escolar inclui ouvir as necessidades dos professores, cuidar de sua saúde mental e ajudá-los a adaptar as abordagens de ensino e de aprendizagem. É o que diz um documento sobre reabertura de escolas da Força Tarefa Internacional de Professores pela Educação, uma parceria da Unesco e da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

A seguir, listamos 7 maneiras de apoiar os professores durante a volta à sala de aula, segundo o documento.

Leia mais: Salman Khan ensina como dar uma boa aula pela internet

  1. Dar voz aos professores

O diálogo é essencial para desenvolver estratégias eficazes para a reabertura das escolas. Esse diálogo deve incluir autoridades competentes, organizações representativas de professores, pais, comunidades locais e alunos, como associações e sindicatos. Ele garante que todas as necessidades sejam consideradas ao planejar a segurança da escola e desenvolver práticas de ensino para retomar o aprendizagem.

  1. Ambiente escolar seguro

Conforme as escolas reabrem, a segurança e o bem-estar dos alunos e funcionários da escola é uma preocupação primordial. Condições de trabalho seguras e saudáveis nas escolas são fundamentais para um trabalho decente e essenciais para garantir que os professores estejam motivados e eficazes durante e após a pandemia.

As medidas para garantir a segurança e a saúde nas escolas devem ser adaptadas aos contextos locais, segundo os padrões da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Professores tem a grande missão de garantir que a volta à sala de aula ocorra sem grandes problemas. Crédito: Reprodução/ SBT Sorocaba.

Professores tem a grande missão de garantir que a volta à sala de aula ocorra sem grandes problemas. Crédito: Reprodução/ SBT Sorocaba.

  1. Bem-estar emocional

A pandemia do coronavírus e o distanciamento físico necessário pode ter gerado problemas psicológicos para professores e suas famílias. Se o estresse e o trauma não forem detectados, e além disso tratados, pode causar danos de longo prazo à capacidade de ensino e ao bem-estar geral.

A quarentena e o excesso de tarefas nos últimos seis meses levou professores ao esgotamento e até mesmo ao abandono do trabalho. Os gestores precisam garantir que toda equipe pedagógica receba apoio psicológico contínuo – fundamental já que muitos professores também precisam dar suporte aos alunos e suas famílias.

Leia mais: Burnout: quarentena e excesso de tarefas leva professores ao esgotamento

  1. Retomada do ensino em sala

Professores precisam receber apoio e recursos adequados para retomarem a rotina em sala de aula e, em muitos casos, para fornecer um nivelamento no ensino. Esse apoio é particularmente importante quando houver pressão adicional sobre o tempo disponível dos professores.

Por exemplo: alguns professores podem ser solicitados a ofertar o ensino presencial e online simultaneamente. Outros terão que completar turnos duplos para manter o tamanho das turmas baixo e permitir o distanciamento físico.

  1. Ter professores suficientes

Apesar das circunstâncias excepcionais, é crucial que os docentes tenham padrões de trabalho decentes. Se o retorno à escola for parcial, ou se algumas crianças continuarem aprendendo remotamente, isso pode revelar lacunas nos recursos humanos e criar horários e rotinas de trabalho complexas. Com um sistema de educação sob pressão, é vital não reduzir investimentos, sob pena de pôr em risco os direitos dos professores e as condições aceitáveis de trabalho.

Leia mais: Um guia sobre a reabertura das escolas e faculdades

  1. Investir na educação

É compreensível que a crise abalou financeiramente a economia de diversos países, mas para garantir a continuidade da aprendizagem as autoridades educacionais precisarão investir nas equipes educacionais. Não apenas para manter os salários, mas também para fornecer treinamento e um ensino de qualidade.

Os governos também devem incentivar e criar meios para os gestores de instituições privadas manterem os pagamentos regulares de salários aos professores e outros funcionários.

  1. Monitorar a situação

É fundamental monitorar e avaliar a situação das escolas que reabriram, e fazer adaptações se necessário. O ideal é que o Ministério da Educação, as autoridades e os gestores escolares desenvolvam estruturas de monitoramento e avaliação para medir e comparar o progresso conforme as escolas reabrem.

Essas estruturas devem levar em consideração o papel do professor no fornecimento de ensino de qualidade e na promoção de um ambiente de aprendizagem favorável.

Leia mais: Pandemia é oportunidade para repensar a formação docente

Redação Pátio
A redação da Pátio – Revista Pedagógica é formada por jornalistas do portal Desafios da Educação e educadores das áreas de ensino infantil, fundamental e médio.

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.