Metodologias de Ensino

Como desenvolver essas 5 soft skills em sala de aula

0

O ensino de competências socioemocionais se tornou uma obrigação nas instituições de ensino superior (IES). Além do conhecimento técnico, a cada dia, independente da área de atuação, o mercado de trabalho exige que os candidatos dominem o maior número possível de soft skills.

Conhecido por apontar as principais tendências do setor, o último relatório The Future of Jobs, divulgado pelo Fórum Econômico Mundial em 2020, elenca dez habilidades que estarão em alta até 2025. Entre elas, estão o pensamento analítico, aprendizagem ativa, criatividade, capacidade para resolver problemas complexos e pensamento crítico.

Nesse cenário, as IES têm um desafio: inovar em suas estratégias metodológicas de ensino e aprendizagem para formar profissionais com essas características. Até porque as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) de diversos cursos superiores posicionam as soft skills entre suas prioridades.

Isso não significa que seja necessário criar disciplinas voltadas especificamente às habilidades socioemocionais. “Essas competências precisam ser organizadas no currículo de forma transversal, permeando todas as outras disciplinas”, explica o diretor da Plataforma A, Gustavo Hoffmann, ao Desafios da Educação.

Segundo Hoffmann, as IES devem apostar nas metodologias ativas de aprendizagem. Ao colocar o aluno no centro do processo de aprendizagem, elas estimulam, por exemplo, a autonomia, a comunicação e o trabalho em equipe, favorecendo o desenvolvimento das competências socioemocionais.

Dicas para ensinar cinco das habilidades mais exigidas pelo mercado de trabalho:

Pensamento analítico

O pensamento analítico é uma competência importante em qualquer negócio. Trata-se da capacidade de desenvolver uma linha de raciocínio que permita, por exemplo, encontrar soluções decompondo um problema em partes mais simples.

Ou seja, o profissional com pensamento analítico vai a fundo na problemática até descobrir possíveis falhas e oportunidades de melhorias para um produto ou serviço. Veja, abaixo, alguns caminhos inseri-lo na rotina da sala de aula:

  • Faça os alunos revisarem o próprio raciocínio: fortaleça neles o hábito de prestar atenção ao modo como constroem suas lógicas de pensamento para agir diante de diferentes problemas;
  • Ensine os estudantes a pensarem rápido: se um raciocínio não levou a resolução de um problema, treine os alunos para seguirem em frente em busca de uma nova resposta;
  • Valorize a filtragem de informações: diante de um grande número de dados e conteúdos, é fundamental criar nos alunos a capacidade de filtrar o que é realmente essencial para encontrar uma solução.

Leia mais: Como ensinar metodologias ativas para alunos passivos

Pensamento crítico

Ter pensamento crítico é saber pensar com clareza e racionalidade. Profissionais com essa característica sempre questionam ideias, suposições e argumentos pré-concebidos. Além disso, estão abertos a descobrir se estão errados e onde podem evoluir.

O pensamento crítico pode ser desenvolvido dentro da sala de aula de forma prática.

No entanto, é necessário um estímulo contínuo, que pode ser realizado das seguintes maneiras:

  • Trabalhe com atividades que visem a identificação e resolução de problemas reais da comunidade do entorno da instituição;
  • Ao analisar cases em sala de aula, faça com que os alunos entendam quais soluções funcionaram e quais não funcionaram nos exemplos – e por qual motivo;
  • Questionar a realidade que nos cerca é parte do espírito crítico, por isso, estimule a inquietação dos alunos com questões sociais, ambientais e políticas em busca de um mundo mais justo e democrático.

Criatividade

Em um mundo cada vez mais automatizado, as novas gerações crescem acostumadas com soluções pré-definidas. Diante desse cenário, o mercado de trabalho está sedento por profissionais capazes desenvolver atitudes e projetos inovadores.

Veja, abaixo, como promover a criatividade dos alunos:

  • Proponha trabalhos e projetos em grupo. Trabalhar em equipe é essencial para trocar ideias e tirar os alunos da zona de conforto individual;
  • Aumente o repertório cultural da sua turma. Forneça e incentive a busca por novas leituras, filmes, peças de teatro, entre outros objetivos culturais relevantes;
  • Utilize recursos tecnológicos em sala de aula. A tecnologia aumenta o engajamento das novas gerações e pode ser uma oportunidade para sair da teoria e ir para a prática.

Leia mais: Criatividade em sala de aula: saiba como preparar o profissional do futuro

Aprendizagem ativa

A aprendizagem ativa é um método de ensino que coloca o aluno como protagonista do processo de aprendizagem. Assim, ele se envolve de maneira autônoma na produção do conhecimento, deixando de ser mero receptor de conteúdo vindo do professor.

As metodologias ativas são a porta de entrada para uma série de outras soft skills, como proatividade, autonomia, resiliência e autoconfiança. Além disso, elas facilitam a fixação de informações a longo prazo.

  • Deixe o ensino conteudista de lado por um instante e promova a resolução de problemas reais por meio da Aprendizagem Baseada em Projetos;
  • Monte e incentive a utilização de um espaço maker na universidade ou na escola, onde os alunos possam colocar a mão na massa;
  • Promova os ideais e conceitos de aprender durante a vida inteira (lifelong learning) e deixe claro que aprender a aprender também depende de naturalizar os erros.

Capacidade de resolver problemas complexos

Na maioria das vezes, soluções óbvias não fornecem saídas satisfatórias para problemas complexos. Hoje, os profissionais precisam aprender a pensar fora da caixa para aumentar a gama de abordagens e repostas durante a resolução de desafios.

Para estimular essa competência, os professores devem ensinar as seguintes atitudes aos alunos:

  • Analisar todas a variantes do problema, mas se concentrar na raiz dele – e não em suas consequências;
  • Sair da zona de conforto, sendo persistente e continuando mesmo diante de dificuldades;
  • Não ter medo de tomar decisões e colar em prática suas ideias, monitorando os resultados.

Leia mais: Como promover a aprendizagem ativa na sala de aula virtual

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino básico e superior.

    VOCÊ PODE GOSTAR

    Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.