Ensino SuperiorGestão educacional

A trajetória da Unig no EaD – do zero à oferta de 48 cursos

0

Quando se credenciou na modalidade de ensino a distância (EaD), em 2019, a Universidade Iguaçu (Unig) não oferecia uma única disciplina online em cursos presenciais. O foco sempre esteve na presencialidade, onde a instituição de Nova Iguaçu (RJ) tem com mais de 50 anos de tradição.

É uma trajetória diferente da percorrida pela maioria das universidades– que costumam ter experiência prévia com até 40% da carga horária a distância. Portanto, quando o credenciamento para o EaD saiu, a Unig tinha muito trabalho a fazer.

Na pós-graduação, alguns anos antes, a instituição fluminense até se aventurou na produção interna de conteúdo. A oferta na graduação, entretanto, se mostrou muito mais desafiadora. Principalmente, devido à escala necessária.

A coordenadora do Núcleo de Educação a Distância da Unig, Claudia Antunes Ruas, percebeu que faltaria mão de obra e investimentos para desenvolver o material em casa. “O primeiro desafio foi encontrar uma empresa que produzisse conteúdo alinhado à proposta epistemológica inovadora que construímos para nossos cursos”, aponta.

A missão foi cumprida quando um funcionário da equipe teve acesso a uma apresentação da Sagah. Impressionado com o que viu, ele procurou Ruas. De cara, ela teve certeza de que se tratava do “casamento perfeito”.

Desde então, a parceria só evoluiu. Hoje, a Unig conta com diversos produtos da Plataforma A, da qual a Sagah faz parte. Entre eles, os laboratórios virtuais da Algetec, a consultoria de mercado da Educa Insights e as avaliações do AvaliA.

A parceria tirou a instituição do zero para um portfólio amplo e bem aceito pelo mercado. Os 14 primeiros cursos de graduação EaD foram lançados em janeiro de 2021. Em outubro, serão 24 no total. Até abril de 2022, vai dar mais um salto, para 48 cursos.

Experiência completa no EaD

Entre outros fatores, a UNIG optou pela Sagah por causa da gama de possibilidades aberta pelos conteúdos. Flexíveis, os materiais possuem um olhar no mundo das ideias, sem perder de vista a importância da prática.

Os conteúdos ficam disponíveis no ambiente virtual de aprendizagem (AVA) Open LMS. Além de garantir a qualidade da experiência do aluno, o Open LMS permite acompanhar o desempenho dos alunos, gerando dados valiosos para a gestão acadêmica.

Mas a preocupação com a trajetória do estudante nos cursos EaD começa antes do acesso ao conteúdo. A Unig utiliza o AvaliA Vestibular no processo seletivo. É o primeiro contato dos alunos com os produtos da Plataforma A.

“O AvaliA é a porta de entrada da instituição. Uma ferramenta que possibilita um processo seletivo democrático e sério”, destaca Ruas. “Além disso, produz relatórios e integrações que ajudam a identificar o perfil dos alunos que estão entrando”.

Já o interesse em mapear informações de mercado levou a universidade a adotar o Educa Metrics. Criado pela Educa Insights esse sistema traz análises e informações atuais que baseiam a tomada de decisões da IES.

“Estamos falando de um conjunto de soluções, que podem atender desde IES tradicionais até as mais inovadoras, alinhadas ao novo perfil de mercado e aluno do ensino superior”, afirma Ruas.

Leia mais: Projetos Integradores guiam reinvenção pedagógica da Unijuí

O segredo da parceria

O investimento em um pacote completo de produtos deixa claro o cuidado com cada detalhe do percurso do aluno. Com isso em vista, Ruas acrescenta que a parceria entre IES e edtech precisa ir além do fornecimento de serviços de qualidade.

Para ilustrar, ela conta a história do lançamento das graduações em engenharia EaD na Unig. “Eram cursos que davam uma certa dor de cabeça”, lembra. “Precisávamos garantir que laboratórios chegassem aos polos com excelência e coerência com as diretrizes curriculares.”

Em uma conversa com um gerente de conta da Plataforma A, Ruas externou a preocupação. Na resposta, logo veio a solução: os laboratórios virtuais e as bancadas didáticas da Algetec.

laboratorios virtuais labs

“No início, esperávamos receber os laboratórios virtuais. Hoje, recebemos um rol de práticas simuladas lançadas semanalmente, realidade aumentada e uma série de objetos de aprendizagem muito bem organizados nas dimensões do conhecimento”, relata.

A proatividade na busca por melhoria contínua é visto como o segredo do sucesso dessa parceria. Todos saem ganhando quando há sintonia na missão da edtech e da IES. Os processos são alinhados de forma rápida e estratégica.

“Juntos, Unig e Plataforma A atendem a sonhos acadêmicos com uma perspectiva de inovação e criatividade”, relata Ruas. “É como se fossemos parte de um só time. Parceiros que crescem juntos.”

 Leia mais: Universidade de Vassouras aposta na transformação digital

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino básico e superior.

    VOCÊ PODE GOSTAR

    Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.