0

A Yduqs, antiga Estácio, informou na manhã desta segunda-feira (14) a intenção de fazer uma oferta mais atraente pelos ativos da Laureate no Brasil. Ontem, o grupo Ser Educacional anunciou em fato relevante que havia comprado os ativos brasileiros do grupo dono da Anhembi Morumbi, da FMU, da UnP e da UniRitter (foto), entre outras instituições.

Leia mais: Pandemia acelera aquisições no ensino superior

A compra da Ser Educacional pela Laureate seria por aproximadamente R$ 4 bilhões. Do montante, R$ 1,7 bilhão seria pago em cash no fechamento da transição. O restante do valor seria negociado assumindo uma dívida da Laureate superior a R$ 6oo milhões e também com a emissão novas ações da Ser, que é listada na B3.

Só que a transação tem uma cláusula “go shop”. Isto é, a Laureate pode solicitar e até mesmo aceitar outra proposta de aquisição que seja mais atraente do que a oferta da Ser Educacional.

Neste caso, a Ser Educacional tem a preferência em igualdade de condições. Do contrário, a Laureate encerra o acordo, pagando multa contratual rescisória de R$ 180 milhões. O prazo da clausula “go shop” termina em 13 de outubro de 2020.

Em nota enviada ao mercado, a Yduqs diz que:

O Grupo Laureate se encontra em regiões de influência importantes para a Yduqs Participações S.A. tais como São Paulo e sul do país, conforme nosso plano estratégico amplamente divulgado aos acionistas.

A nota, que não menciona valores, acrescenta que os dados públicos da Laureate também “demonstram outra vertente importante de crescimento com suas vagas de medicina”, que é um filão estratégico para a Yduqs, segundo maior player do setor de educação no Brasil.

(Atualização: segundo o Valor Econômico, a Ânima também está na disputa pela aquisição da Laureate. Fontes disseram ao jornal que a Laureate tinha, inclusive, as três propostas na mesa, mas não em estágio avançado. Ao anunciar a compra pela Ser Educacional, “forçou” as outras duas interessadas a correr com suas propostas, que precisam apresentadas até 13 de outubro.)

A Laureate está se desfazendo de todo o seu braço de educação. Não só no Brasil, mas em todo mundo. O grupo já vendeu (ou está em processo de venda) de instituições de ensino superior no Chile, no Peru, no México, na Austrália e nos Estados Unidos – na sexta-feira passada, anunciou a venda da Waldes University, por US$ 1,48 bi, à Adtalem.

A venda da operação brasileira da Laureate será mais um capítulo na história das aquisições no setor de ensino superior, que aceleraram em 2020 – conforme mostrou reportagem do portal Desafios da Educação

Leia mais: Pandemia acelera aquisições no ensino superior

*Texto atualizado em 17 de setembro de 2020, às 16h53. 

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino básico e superior.

    VOCÊ PODE GOSTAR

    Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.