AvaliaçãoEdTech

Lições do coronavírus: os desafios de avaliar a aprendizagem remota

0

A pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV2) transformou a realidade do sistema educacional, levando instituições de ensino básico e de ensino superior a se adaptarem ao ensino a distância. Isso pôs em evidência um novo desafio, para além da forma de lecionar: a avaliação remota da aprendizagem.

A avaliação, como sói ocorrer, é indispensável no processo de ensino-aprendizagem. Este processo mede a evolução de cada aluno e comprova (ou não) a efetividade da metodologia de ensino adotada pelo professor.

É preciso inovar na hora de realizar a avaliação das aulas a distância. Crédito: Pexels.

É preciso inovar na hora de realizar a avaliação das aulas a distância. Crédito: Pexels.

Os modelos clássicos que quantificam o conhecimento do estudante com base em erros e acertos – e então o aprovam ou reprovam – já vinham sofrendo críticas antes mesmo do cenário atual. Com a educação remota em massa, surge a oportunidade de repensar antigas práticas, descobrir outras que funcionam para o ambiente virtual. E, no momento oportuno, combiná-las com o ensino presencial.

Leia mais: Feedback é melhor do que avaliação por nota, diz Eric Mazur

O processo avaliativo

A avaliação a distancia deve ser encarada mais como um diagnóstico do que como uma classificação. Assim, é mais do que simplesmente somar pontuações e calcular notas – diz Franklin Correia, professor da Fatec com mais de sete anos de experiência em gestão de inovação e tecnologias educacionais.

“Para alcançar toda a potencialidade, o processo avaliativo precisa ser contínuo e diversificado, tanto em metodologias quanto em ferramentas. Isso se torna ainda mais importante quando falamos de ensino básico.”

Leia maisLições do coronavírus: ensino remoto emergencial não é EAD

Seja em cursos presenciais ou nos que são desenvolvidos especialmente para a EAD, a avaliação ainda é convencional. Segundo Correia, dá-se mais atenção a momentos do que ao todo – focalizando nos resultados de um exame geral e unidisciplinar, e obrigando o aluno a sintetizar todo o conteúdo aprendido em um só formato (principalmente provas objetivas), sem receber retorno do professor.

“Todas as instituições vão precisar repensar seus sistemas de avaliação e criar algo que funcione em um mundo digital”, defende o professor.

Para criar metodologias de avaliação durante o período de confinamento – e além –, docentes e gestores podem se guiar por seguintes questionamentos: O que os estudantes sabem? Como complementar e expandir esse conhecimento? Existem lacunas a serem preenchidas? Quais são as formas para ele demonstrar o que aprendeu?

Leia mais: Michael Horn: professores devem ser advogados dos alunos, não juízes

Possibilidades da avaliação a distância

No ensino remoto, torna-se extremamente importante a escolha do ambiente virtual de aprendizagem (AVA ou LMS, de Learning Management System). Quanto mais possibilidades de interação a ferramenta tiver, melhor.

Por meio de fóruns de discussão, mensagens diretas e comentários durante as aulas é possível identificar o que o estudante sabe e o que precisa aperfeiçoar. As plataformas de EAD também costumam disponibilizar dados de engajamento, como o número de acessos, tempo de permanência nas aulas e quantidade de interações com os conteúdos.

Essas informações são úteis na hora de determinar o nível de interesse e esforço do aluno para acompanhar a disciplina – e até para perceber quais módulos precisam ser apresentados de uma forma mais atrativa.

Leia mais: Learning analytics: o poder dos dados na instituição de ensino superior

A estruturação das aulas em tópicos facilita uma avaliação constante. Junto a cada conteúdo, o professor pode propor uma atividade avaliativa, não necessariamente objetiva. Conforme o tema, as turmas podem desenvolver projetos nas redes sociais, explicar a matéria através de áudios e vídeos, criar storyboards ou construir textos criativos.

“Existem muitas ferramentas tecnológicas que facilitam e aprimoram o processo avaliativo. O Kahoot, por exemplo, é uma opção bastante intuitiva que utiliza a gamificação para engajar o grupo enquanto testa seu conhecimento. Funciona em todos os níveis de escolaridade, mas se destaca no ensino básico”, explica o professor Franklin Correia.

Ele também recomenda explorar os QR CODES, gerados online e de forma gratuita. “Esse tipo de atividade desenvolve a criatividade e a capacidade analítica combinadas ao conteúdo estudado”, diz.

Leia maisUm guia completo sobre os efeitos do coronavírus na educação

Avaliando professores

A educação a distância também torna a avaliação dos professores mais transparente. A modalidade de ensino faz com que os estudantes se sintam mais livres para comentários críticos que talvez não tivessem coragem de fazer no ambiente presencial.

Descubra como inovar na avaliação online.

Descubra como inovar na avaliação online.

Devido à pandemia, muitas IES não repassam avaliações e comentários aos docentes. Nesse período incerto, contudo, é fundamental que os professores possam receber um overview da sua atuação docente.

Correia faz coro aos demais especialistas. Não é que o vírus vai gerar efeitos permanentes no processo avaliativo. Ele mudará todo o sistema educacional. “Tenho convicção de que, com essa experiência de ensino remoto, vamos descobrir novas formas de avaliar e principalmente de dar feedbacks, sem voltarmos aos modelos tradicionais.” A educação não será mais a mesma.

Leia também

>> 5 conselhos para coordenadores pedagógicos durante a Covid-19

>> 5 dicas para os professores que vão migrar para a EAD

>> Especialistas projetam futuro do ensino superior – depois da pandemia 

>> As instituições de ensino particular e o coronavírus: entrevista com Richard Vasconcelos

>> Gestores analisam as lições do coronavírus e os desafios das faculdades brasileiras

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.