EAD

A biblioteca do futuro na era do ensino a distância

0

A melhor parte de estar no olho do furacão de uma revolução tecnológica como a que a educação superior está vivendo é ter acesso às iniciativas mais criativas. Em tempos de ensino a distância e cursos online, não é de se espantar que uma peça chave das instituições de ensino também esteja em plena transformação. Estamos falando, é claro, das bibliotecas. Um recente encontro de dois dias sobre a biblioteca do futuro em Harvard, se não a mais importante universidade do mundo, uma das mais, é um excelente ponto de partida para conhecer e refletir sobre a biblioteca e o espaço, físico e intelectual, que ela ocupa na história da educação.

Historiador e primeiro diretor-executivo da Digital Public Library of America (Biblioteca Pública Digital da América, em tradução livre), Dan Cohen foi quem deu início ao evento e introduziu algumas impressões interessantes sobre o futuro. Para ele, a era digital está transformando as bibliotecas, que deixam de ser repositórios estáticos para serem plataformas dinâmicas, verdadeiros “sistemas modernos de descobertas”, que são abertos, interligados, internacionais e prontos para absorver a “digitalização em massa” que o futuro trará.

A DPLA está no ar desde abril de 2013 [Fonte: DPLA]

A DPLA está no ar desde abril de 2013
[Fonte: DPLA]

 Outros estudiosos do assunto presentes no evento em Harvard, como Rae Lynn Barnes, Maureen Callahan, Suzanne Kahn e Trevor Owens, creem que a ferramenta de auxílio nas buscas, tão essencial nas bibliotecas de hoje e de ontem, continuará a existir. E eles dizem mais: a ajuda estará no centro das bibliotecas e dos arquivos do futuro, e seu funcionamento será um híbrido entre o antigo e o novo. Se do lado digital teremos avançados sistemas de busca e a possibilidade de acessar conteúdo online, do lado analógico estarão os arquivistas, que continuarão tendo que investigar coleções bem o suficiente a ponto de descreverem o seu conteúdo, fornecer contexto e até mesmo uma sensação de plenitude para quem se interessa por uma obra.

Criada em 2010, a Digital Public Library of America, ou simplesmente, DPLA, é uma plataforma de internet gratuita que liga bibliotecas americanas, arquivos e museus. Atualmente, os usuários têm acesso a cerca de seis milhões de itens, três vezes mais do que quando a DPLA entrou no ar, há menos de 11 meses. Estudantes e a população em geral, não apenas a americana, estão a um clique de todos esses livros, imagens e artefatos oriundos de onze centros de serviços (Harvard é um) e de cerca de 1,2 mil pequenos fornecedores de conteúdo espalhados por 15 estados dos EUA.

Bibliotecas devem ser acessíveis, e não relíquias da humanidade [Fonte: De Rerum Natura]

Bibliotecas devem ser acessíveis, e não relíquias da humanidade
[Fonte: De Rerum Natura]

A DPLA é só uma das várias iniciativas que estão surgindo para transformar livros em bytes. No Brasil, o Grupo A é um dos apoiadores da Minha Biblioteca, um consórcio formado pelas quatro principais editoras de livros acadêmicos do Brasil. Grupo A, Atlas, Grupo GEN e Saraiva se uniram para oferecer às instituições de ensino superior uma plataforma de acesso a um conteúdo técnico e científico pela internet através da chamada computação em nuvem. Mediante uma mensalidade, as instituições de ensino superior podem oferecer a seus alunos um ambiente online para leitura dos principais livros acadêmicos do mercado. Além disso, tem o fator mobilidade: a Minha Biblioteca pode ser acessada em qualquer lugar pela internet, por meio de computadores, smartphones e tablets.

Outro bom exemplo de biblioteca do futuro é a Biblioteca James B. Hunt. Inaugurado há um ano, o local foi criado pelo escritório norueguês Snøhetta e é uma verdadeira obra de design. Além disso, a biblioteca adotou um conhecido terminal de busca de livros, chamado bookBot, que é todo feito por robôs. Ou seja, para cada livro solicitado dentro do catálogo, um robô é ativado no sistema de delivery para automaticamente buscar o livro. A tecnologia é a mesma vista em indústrias, mas seu uso em uma biblioteca é que é novidade. 

E você, conhece outros exemplos de biblioteca do futuro? Ou tem ideias mais inovadoras? Compartilhe conosco acessando a nossa newsletter.

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino básico e superior.

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.