Ensino Básico

Como inserir os objetivos do desenvolvimento sustentável na escola

0

Além do conteúdo curricular, a escola é um espaço onde os alunos aprendem atitudes, valores e habilidades. Abordar os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) nas instituições de ensino contribui para a formação de cidadãos conscientes da missão de construir um mundo melhor.

Criados em 2015, os ODS são um plano ousado de ações propostas pela Organização das Nações Unidas (ONU) para acabar com a desigualdade social, proteger o planeta e garantir a paz e a prosperidade. De maneira geral, a ideia é enfrentar os maiores desafios mundiais até 2030.

Ao todo, são 17 objetivos:

  • Erradicação da pobreza;
  • Fome zero;
  • Boa saúde e bem-estar;
  • Educação de qualidade;
  • Igualdade de gênero;
  • Água limpa e saneamento;
  • Energia acessível e limpa;
  • Emprego digno e crescimento econômico;
  • Indústria, inovação e infraestrutura;
  • Redução das desigualdades;
  • Cidades e comunidades sustentáveis;
  • Consumo e produção responsáveis;
  • Combate às alterações climáticas;
  • Vida debaixo d’água;
  • Vida sobre a Terra;
  • Paz, justiça e instituições fortes;
  • Parcerias em prol das metas.

Crédito: Divulgação.

ODS na educação

A ONU incentiva a adoção dos ODS por toda a sociedade, o que engloba governos, empresas, escolas e universidades. Na educação, eles são grandes aliados para nortear projetos e programas da comunidade escolar.

Segundo um estudo do British Council, os objetivos do desenvolvimento sustentável ajudam no desenvolvimento moral e mental dos alunos, aumentando o engajamento. Além disso, turbinam suas habilidades acadêmicas e os tornam mais competitivos quando chegam ao mercado de trabalho.

Os professores saem ganhando com o estímulo de ensinar a partir de um material atualizado e relevante, impulsionando o desenvolvimento profissional. Já as escolas passam a influenciar de maneira positiva nas comunidades onde atuam.

Entre as aplicabilidades dos ODS, as instituições podem oferecer aulas e atividade específicas para que os estudantes conheçam a iniciativa e sua importância. Também é possível criar linhas de pesquisa alinhadas aos objetivos, incentivando a produção científica a partir de problemas reais.

Seja como for, eles não devem ser pensados e trabalhados de forma isolada. A melhor saída é aplicá-los complementarmente para potencializar a interdisciplinaridade, o pensamento complexo e a visão sistêmica dos projetos e práticas pedagógicas.

Vale destacar, por exemplo, que o quarto ODS trata especificamente sobre assegurar uma educação inclusiva e de qualidade. O tema, porém, é abordado em outros objetivos, refletindo sua importância para a conquista das metas estabelecidas pela ONU.

Leia mais: A importância do ESG no ensino superior

Sustentabilidade na escola

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) também inclui a sustentabilidade entre as competências a serem desenvolvidas pelos estudantes. Segundo a BNCC, os alunos precisam “agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários”.

Por isso, é fundamental abordar a discussão sobre o desenvolvimento sustentável, apresentando os alunos aos ODS. Cabe aos professores incluir o tema em suas disciplinas de maneira transversal, uma vez que a sustentabilidade não deve ser restrita a uma área do conhecimento.

Cada instituição de ensino pode escolher a melhor maneira de abordar o assunto, levando em conta o contexto local. No entanto, os seguintes exemplos ajudam a colocar a sustentabilidade em prática:

  • Coleta de água da chuva para lavar o pátio, calçadas e áreas externas;
  • Criação de um ponto de coleta de resíduos recicláveis;
  • Compostagem de resíduos orgânicos;
  • Criação de horta e envolvimento dos alunos na sua manutenção;
  • Reduzir a utilização de plásticos e papéis;
  • Criar ações de integração entre os alunos para incentivar o senso de coletividade;
  • Desenvolvimento de um sistema de reciclagem de resíduos;
  • Implementação de projetos para a reutilização de materiais recicláveis;
  • Desenvolvimento de atividades de plantio de árvores;
  • Incentivo ao uso racional de água e energia elétrica para evitar o desperdício.

A ideia de sustentabilidade deve ser incluída na estrutura de gestão e ser aplicada todos os dias, tornando-se parte da cultura da escola. Assim, fica mais fácil construir sistemas educacionais adequados aos objetivos, com conteúdo relevante e que estimule a participação dos alunos durante as aulas.

Leia mais: O ensino superior é indispensável para alcançar os objetivos de desenvolvimento sustentável

Redação Pátio
A redação da Pátio – Revista Pedagógica é formada por jornalistas do portal Desafios da Educação e educadores das áreas de ensino infantil, fundamental e médio.

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.