Insights

Como o “lifelong learning” está se tornando uma nova versão do MBA

0
Lifelong learning is the new MBA: em vez de mergulhar em um programa de graduação por um período compacto de tempo, os alunos têm a opção de estender seu aprendizado ao longo dos anos. Crédito: Pexels.

Lifelong learning is the new MBA: em vez de uma pós-graduação, as pessoas têm opção de estender seu aprendizado ao longo dos anos. Crédito: Pexels.

Quando o ensino superior olhar para 2020 nas próximas décadas, o ano da grande pandemia pode ser visto como um ponto de virada para os cursos de MBA e outras pós-graduações.

A covid-19 forçou um experimento nacional de aprendizagem online, e uma lição decorrente desse experimento pode ser que continuar sua educação não precisa necessariamente significar pagar altas mensalidades para obter um diploma formal de pós-graduação.

“Todos nós precisamos ser aprendizes ao longo da vida se esperamos atingir nossos objetivos e levar uma vida plena. Mas isso pode significar muitas coisas e, por causa da pandemia, acho que ficou ainda mais claro que as maneiras como abordamos a educação de nós mesmos não precisam ficar presas às noções do passado de como o aprendizado ocorre”, diz Kimberly Roush.

Roush é especializada em treinar executivos de nível C e VP de empresas Fortune 100 para empreendedores solo. Ela oferece um programa de coaching em grupo de três meses para executivos em transição, chamado “Back In the Game”, que oferece aos líderes empresariais a chance de continuar aprendendo e aprimorando habilidades para ajudar a reacender carreiras que perderam o rumo pela pandemia.

Leia mais: Peter Kronstrøm: “O lifelong learning é o futuro da educação”

As escolas de negócios de Harvard e Columbia já estão adicionando certificados e aprendizagem vitalícia a seus programas.

Em vez de mergulhar em um programa de graduação por um período compacto de tempo, os alunos têm a opção de estender seu aprendizado ao longo dos anos, agarrando-se ao que atende às suas necessidades atuais.

Esse tipo de abordagem (conhecida como aprendizagem ao longo da vida ou educação continuada) se encaixa perfeitamente com os objetivos e estilos de vida de muitos líderes empresariais, diz Roush.

Leia mais: Por que o modelo educacional não será mais o mesmo depois da covid-19

Lifelong learning is the new MBA: 4 conselhos

Para o Learning Solutions, Roush deu conselhos àqueles que desejam continuar adicionando à sua base de conhecimento ao longo de suas carreiras, seja por meio de um programa de certificação, uma aula online única, sessões de coaching ou um diploma mais formal. Aqui estão as dicas:

Pense profundamente sobre você e seus objetivos

Permita a si mesmo o tempo e espaço para refletir e sair do piloto automático enquanto avança, diz Roush. “Nós tendemos a nos concentrar em direção e ação. Refletir sobre nós mesmos é algo que muitas vezes passa despercebido. Em alguns casos, as pessoas não têm as ferramentas para fazer isso de forma eficaz ”, diz ela.

Esforce-se para ser um aprendiz, não um conhecedor

Algumas pessoas são “conhecedoras” e outras “aprendizes”, diz Roush. “Os conhecedores se sentem compelidos a saber a resposta, um sinal de um ego inseguro. No mundo de hoje, é claro, é impossível para qualquer pessoa, ou qualquer líder, saber tudo. Os conhecedores operam mais por controle do que por curiosidade. Eles realmente não lideram tanto quanto gerenciam ”, diz ela.

Os alunos ao longo da vida, por outro lado, têm uma predisposição para a curiosidade. “Eles têm um ego saudável, então não têm problemas em dizer: ‘Não sei a resposta, mas vamos descobrir’”.

Reconheça que sua alegria de aprender pode impactar outras pessoas

Quando os líderes de negócios são aprendizes, isso cria mais uma abordagem de parceria com os funcionários e colaboradores, que se sentem fortalecidos. “O foco está em trabalhar juntos”, diz Roush. “Tudo decorre dessa curiosidade natural. Ao perguntar ‘o quê’ e ‘como’, os líderes incentivam mais conversação – e mais aprendizagem por parte de todos.”

O auto aperfeiçoamento nem sempre envolve grandes mudanças

Roush trabalhou com muitos executivos que fizeram ajustes em suas carreiras, mas esses ajustes não precisam ser dramáticos. “Frequentemente, as pessoas foram deliberadas sobre sua escolha de carreira e amam sua área; eles apenas se envolveram em uma parte que não gostam ”, diz ela.

“Às vezes é só uma questão de voltar às raízes e lembrar o que eles amam em seu trabalho e se permitirem focar muito mais nisso. Você não precisa necessariamente virar à direita e mudar completamente o que está fazendo. Você não está necessariamente no caminho errado; você pode apenas ter atingido um ponto difícil ou não saber exatamente onde está. ”

Leia mais: Lifelong learning: o conceito de aprender por toda a vida

Este artigo foi publicado originalmente pelo Learning Solutions, com tradução e edição do Desafios da Educação.

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino básico e superior.

    VOCÊ PODE GOSTAR

    Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.