EADEnsino Superior

Por que a Biomedicina está bombando no EaD

0

Em junho de 2021, a pedido do portal Desafios da Educação, a consultoria Educa Insights realizou um levantamento dos cursos que apresentaram maior crescimento percentual em matrículas no Brasil. Entre as graduações de ensino a distância (Ead), o grande destaque foi Biomedicina.

Com base nos dados do último Censo da Educação Superior, constatou-se que o curso de Biomedicina EaD teve alta de 281% entre 2017 e 2019. A graduação saltou de 583 para 8.465 matrículas, ficando também entre os três cursos que mais cresceram nas regiões Norte (221,6%) e Sudeste (373,5%) do país.

Biomedicina: graduação cresceu 281% nos últimos três anos. Crédito: divulgação/USP

Que curso é esse?

A Biomedicina é a área científica que atua entre a Biologia e a Medicina, por meio da pesquisa de doenças humanas e elementos ambientais. O objetivo do curso é capacitar o aluno para compreender as causas, consequências e sintomas de doenças que comprometem a saúde da população – caso da covid-19.

Há aproximadamente 35 áreas de atuação para o biomédico. O principal foco deste profissional é atuar nas áreas de análises e diagnósticos de imagens, aprimorando tratamentos. Sua presença também cresce nas indústrias farmacêuticas, onde auxilia na pesquisa de novos medicamentos e outros produtos médicos de interesse local.

O título de bacharel em Biomedicina também abre portas para atuação em análises clínicas humanas e veterinárias, reprodução humana e toxicologia. Boas perspectivas têm surgido também nas áreas de pesquisa e consultoria, bem como em citopatologia, oncologia e em clínicas especializadas em quimioterapia.

Há ainda o aumento crescente na procura por biomédicos em áreas de criminalística e da Biomedicina estética. Nestas áreas os profissionais podem realizar procedimentos estéticos injetáveis, por exemplo.

Leia mais: Pandemia aumenta interesse de alunos por graduações na área de saúde

Biomedicina EaD e o pós-pandemia

É muito provável que as graduações da área da saúde tenham alta demanda no período pós-pandemia. Um levantamento da Educa Insights, divulgado no fim de 2020, mostrou que entre os cursos mais citados pelos entrevistados as graduações presenciais relacionadas à Saúde correspondem a 36,1% do interesse; na EaD, 17,5%.

Na lista se destacaram as graduações em Enfermagem, Psicologia, Educação Física, Nutrição, Fisioterapia e, não podia ser diferente, Biomedicina. “A preferência por formações na área da saúde expõe a crescente valorização desses profissionais durante o combate à pandemia, em especial na linha de frente de enfrentamento”, disse em nota o diretor presidente da Abmes, Celso Niskier.

De olho nessa tendência, a Faseh (Faculdade de Saúde e Ecologia Humana), de Vespasiano (MG), inaugurou no segundo semestre de 2021 o curso de Biomedicina. A graduação é de ensino híbrido (semipresencial), o que no regulamento do MEC é considerado EaD. “O que motivou a abertura do curso tem a ver com o cenário atual que estamos vivendo”, confirma Rebeca dos Santos Duarte Rosa, coordenadora dos cursos de saúde da Faseh.

Leia mais: Laboratórios virtuais na educação: o que são, quais os benefícios e como utilizá-los

O uso nas novas tecnologias para acesso ao conhecimento, o desenvolvimento das habilidades técnicas e comportamentais e a formação ampla no currículo também são diferenciais que dão qualidade ao curso da Faseh. “Sem contar os laboratórios bem equipados para o desenvolvimento de qualquer técnica na Biomedicina”, afirma Rosa.

Além dos laboratórios físicos, a instituição mineira também lança mão dos laboratórios virtuais. Com eles, atividades práticas que eram exclusivamente presenciais são simuladas em ambiente virtual de aprendizagem (AVA ou LMS, na sigla em inglês).

Cabe dizer que, apesar disso, todo e qualquer curso da saúde EaD ainda realiza obrigatoriamente atividades práticas presenciais – seja na instituição ou no estágio. A ideia dos laboratórios virtuais é servir como simuladores de um ambiente real. Existe extrema precisão nas operações e medidas, atenuando possíveis erros e equívocos cometidos pelos alunos durante os procedimentos. Com a diferença de o ambiente ser controlado, sem riscos e de baixo custo financeiro.

Os seis cursos EaD da área da saúde na Unipar (Universidade Paranaense) – Educação Física, Nutrição, Farmácia, Fisioterapia, Estética e Cosmética e Biomedicina – também funcionam em um modelo semipresencial, com uso da metodologia ativa conhecida como sala de aula invertida.

Isso significa que, em um primeiro momento, o aluno estuda por conta própria no AVA. Nessa etapa, como na Faseh, o estudante da Unipar conta com o apoio dos laboratórios virtuais da Algetec, empresa que desde 2011 desenvolve soluções tecnológicas para o Ensino Superior.

Na Biomedicina, que é um dos cursos EaD mais procurados na Unipar, a tecnologia permite simular tudo o que acontece em um laboratório de análises clínicas. Quando chegar ao laboratório físico ou a um estágio clínico, o estudante está mais preparado para treinar suas habilidades manuais e resolver eventuais dúvidas.

Leia mais: As vantagens dos laboratórios virtuais nas graduações da saúde EAD

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino básico e superior.

    VOCÊ PODE GOSTAR

    Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.