Empregabilidade

Cursos tecnológicos dobram o número de estudantes em uma década

0

Em 2019, o contingente de trabalhadores brasileiros na informalidade atingiu patamar recorde de 41,4%, enquanto o de desempregados chegou a 12,5% (13,2 milhões). Ambos os índices represem as maiores altas na série histórica registrada no país.

Entre as causas, estão mudanças nas condições trabalhistas e a exigência do mercado por profissionais especializados.

Uma reação a esse quadro pode estar surgindo com os cursos superiores tecnológicos, também conhecidos como tecnólogos, que cresceram 51% na última década. Os dados são do Censo do Ensino Superior, de 2018.

Os tecnólogos prometem formar, em um período de até dois anos, profissionais com foco nas atividades práticas. Apenas entre 2017 e 2018, esses cursos tiveram um crescimento em torno de 16,6% do número de alunos ingressantes. Para se ter uma ideia, no mesmo período, cursos tradicionais, como bacharelado e licenciatura, obtiveram aumento de 3,1% e 8,9%, respectivamente.

Leia mais: Desemprego: recorrer à faculdade pode ser saída para alunos e egressos

EAD impulsiona formação de tecnólogos

A alta neste tipo de formação é impulsionada principalmente pela educação a distância. Cerca de 60% dos alunos que optam pelos tecnólogos, focados no setor produtivo, estão matriculados na modalidade EAD.

O censo do setor também revelou o perfil desses estudantes. A EAD já supera o número de matrículas presenciais, e é formada, principalmente, por alunos que estudam e trabalham concomitantemente.

Leia mais: Como a graduação EAD mudou a vida desta estudante

Estudo virtual: 60% dos tecnólogos são EAD. Crédito: Pixabay.

Para esses profissionais, a necessidade de desenvolver competências em meio à rotina apertada encontra saída nos cursos tecnológicos a distância. Não à toa, as matrículas nessa modalidade cresceram 345,8% na década, enquanto, neste período, a alta foi de apenas 28,4% nos cursos presenciais.

Outro destaque em relação à formação de tecnólogos é o número de concluintes. Entre 2017 e 2018, houve um crescimento de 7,6%, enquanto os bacharéis demonstraram índices de conclusão de 6,9%.

Como funcionam os cursos superiores de tecnologia

Assim como cursos de bacharelado e licenciatura, os tecnólogos são regidos pelo Ministério da Educação (MEC) e passam por avaliações, a exemplo do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), além de seguirem diretrizes curriculares.

O ingresso se dá por vestibular, e é possível realizar estágios e intercâmbios durante o período de aprendizagem. O Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia divide os cursos por nove áreas, incluindo controle e processos industriais e gestão e negócios, por exemplo.

Essas áreas, aliás, estão no topo das tendências de mercado para 2020. Segundo levantamento do Guia Salarial da Robert Half, que traz as expectativas para 2020, áreas como finanças e contabilidade, seguros e serviços e engenharia e gestão de dados estão entre as mais promissoras para este ano.

Leia mais: As principais tendências da educação para 2020

Redação
A redação do portal Desafios da Educação é formada por jornalistas, educadores e especialistas em ensino básico e superior.

    VOCÊ PODE GOSTAR

    Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.